jump to navigation

Presidente da Fenadados fala sobre dissídio coletivo abril 23, 2009

Posted by falatec in Uncategorized.
add a comment

Assista ao vídeo:

Anúncios

Campanha salarial: tem início reunião com a DATAPREV abril 23, 2009

Posted by falatec in Uncategorized.
add a comment

Fonte: portal fenadados

Teve início às 15h20min, nesta quarta-feira (22 de abril), a primeira reunião de negociação entre a Coordenação Nacional de Campanha dos Trabalhadores da DATAPREV e representantes da empresa.

Inicialmente, a FENADADOS apresentou e oficializou a coordenação de campanha dos trabalhadores. A DATAPREV também apresentou sua coordenação.

fenadados

Dando boas-vindas à   representação dos trabalhadores, o presidente da empresa, Rodrigo Ortiz D’Avila Assumpção, fez a abertura solene dos trabalhos, enfatizando o desejo de “que as negociações ocorram da melhor forma possível”.

Cursos em TI de graça! Quem vai perder esta chance? janeiro 29, 2009

Posted by falatec in Uncategorized.
Tags: , , ,
1 comment so far

Por: Taciana Giesel

O Centro de Integração Empresa-Escola CIEE está oferecendo cursos de graça na área de tecnologia da informação. Não perca a oportunidade de se atualizar nestes tempos de crise! Um bom currículo na área com cursos novos é uma boa maneira de manter ou arranjar um novo emprego. Segundo o portal do IDGNow, são quase 800 vagas em aberto.


São, ao todo, nove cursos e sete oficinas de Tecnologia da Informação, entre elas o novo curso Excel Básico + Avançado, que substitui o curso Básico de Excel.

Entre os cursos e oficinas também estão:

  • Cisco IT Essentials (Cisco Systems, CTT e Ainet)
  • Conceitos Básicos de Redes (Impacta)
  • Linux + Segurança (Hauri do Brasil)
  • Oficina/ Curso de Wireless (Ainet e CIEE)
  • Oficina de Voz sobre IP – VOIP (Ainet e CIEE)

Mais informações no portal do CIEE.

.

Um Fórum para mudar a História janeiro 27, 2009

Posted by falatec in Uncategorized.
add a comment

Fonte: Fenadados

O agravamento e alastramento da crise que sopra desde os países capitalistas centrais reforça o papel deste Fórum Social Mundial de encontrar saídas comuns para os nossos países e povos, que não aceitam – e não vão – pagar a conta dos que converteram o planeta num grande cassino.

No momento em que desaba o castelo de cartas da especulação global, precisamos de respostas conjuntas, urgentes e contundentes, contra a crise provocada pelo enfraquecimento do Estado, privatização/desnacionalização do patrimônio público e desregulamentação dos mercados.

Não podemos desperdiçar esta oportunidade. Para a Central Única dos Trabalhadores do Brasil, é hora dos movimentos sociais somarem experiência e capacidade pressionando por ações solidárias e soberanas que visem a complementaridade das economias e a valorização do trabalho com distribuição de renda, ampliando a unidade para derrotar o imperialismo, o parasitismo especulativo e a sanha de lucro fácil das transnacionais.

Com orgulho e alegria afirmamos que, em nosso Continente, foi a união e a mobilização dos povos e governos progressistas que enterraram a Alca e estão erguendo alternativas que unifiquem os países da América Latina, contribuindo para o combate às imensas desigualdades e injustiças ainda existentes em nossa região.

A construção de uma sociedade democrática e participativa, mais justa e igualitária para homens e mulheres, raças e etnias, depende, mais do que nunca, da nossa ação, contribuindo com energia e consciência por uma nova Humanidade, em defesa da soberania alimentar e energética, dos direitos dos povos à sua autodeterminação, à vida e à felicidade.

Que a energia da Amazônia e a resistência do povo palestino contra a criminosa e covarde agressão israelense nos inspirem e iluminem na busca de uma nova era de paz, justiça e fraternidade.

Profissional de TI à beira de um ataque de nervos janeiro 15, 2009

Posted by falatec in Uncategorized.
add a comment

Fonte: revista Info Online

Pesquisa revela que 36% dos profissionais de TI já tiveram insônia ou dor de cabeça por causa de problemas no trabalho.

 

A empresa Connect, que atua na área de TI no Reino Unido, conduziu uma pesquisa que contou com entrevistas com gerentes e diretores de TI em 151 companhias.


A insatisfação não é pouca: apesar da recessão econômica, 23% dos trabalhadores de TI disseram que querem deixar área para trabalhar com algo totalmente diferente. A maior causa do stress, segundo 45% dos entrevistados, são problemas do dia-a-dia. Outra causa de stress é a preocupação com perda de dados críticos – 10% dos entrevistados relataram já ter perdido dados críticos.


O estudo concluiu também que 25% dos profissionais de TI de pequenas e médias empresas do Reino Unido já sofreram abuso verbal ou físico no local de trabalho. Entre os consultados, 7% afirmaram já ter negligenciado família ou amigos por motivos profissionais. Muitos trabalhadores estão fazendo horas-extras, de acordo com a pesquisa: 59% dos profissionais de TI gastam de 1 a 10 horas além do horário normal de trabalho.

 

“Muitas empresas passaram por problemas financeiros em 2008, não me surpreende que haja stress entre os gerentes de TI, já que a tecnologia é vital na maioria das empresas. Mas é desapontador saber que isso tenha levado a abusos físicos ou verbais com tanta frequência”, disse o CEO da Connect, Mark Macgregor.

Quatro cursos qualificam terceirizados da CEF em Software Livre janeiro 14, 2009

Posted by falatec in Uncategorized.
Tags: , , , , , , ,
add a comment

Confira a matéria em áudio

Busque a recolocação profissional fora da área de TI janeiro 13, 2009

Posted by falatec in Uncategorized.
add a comment

De acordo com o livro Debugging Your Information Technology Career, os profissionais podem trabalhar em áreas como a de saúde, seguros e análise de ações.

Fonte:  Shane Schick, Computerworld Canada – portal CIO

Com formação em Tecnologia da Informação e passagens por áreas executivas de companhias como GE e IBM, Janice Weinberg – agora consultora – publicou o livro Debugging Your Information Technology Career, que trata das possibilidades de recolocação de profissionais de TI em outras áreas de atuação. Cada capítulo inclui uma seção “resistência à recessão”, que analisa quão vulnerável cada segmento é a crises econômicas, e como executivos devem agir para sobreviver aos maus tempos.

A autora conta que sua primeira idéia sobre a produção do livro surgiu em 2004, quando o processo de terceirização de algumas funções tradicionais de TI gerou um certo temor em toda a comunidade de profissionais da área. Na ocasião, lembra Janice, não havia muitas opções para aqueles que acabavam, porventura, saindo do mercado.

“O que eu notei na época – e que me deixou preocupada – foram profissionais de TI mudando completamente suas carreiras devido a esse imprevisto”, disse Weinberg, contando que muitos de seus conhecidos da área acabaram tornando-se professores, enfermeiros de alto padrão ou até mesmo aventurando-se na arte da culinária.

“Observei tudo aquilo e me questionei o motivo de não estar lendo nada a respeito dessas pessoas que investiram tanto tempo, dinheiro e energia em uma empreitada voltada à tecnologia e agora utilizavam seus conhecimentos como atrativos para atuar com sucesso em outro segmento profissional”, completou a autora.

Ela alerta que algumas opções apontadas em seu livro, como administrador de empreendimentos de saúde, podem parecer um pouco longe da realidade; mas explica que com o desenvolvimento – por exemplo – de sistemas de detecção de erros na manipulação de medicamentos, é possível utilizar as habilidades de TI para se destacar em tal mercado. Entretanto, mostra que alternativas como a de analista de ações pode requerer que os profissionais busquem qualificações em MBAs e outros cursos específicos.

Uma mudança natural, segundo ela, pode ser a de um administrador ou gerente de segurança para a área de seguros. “Um dos segmentos de destaque nas seguradoras atualmente é a proteção de dados na web, visto que as companhias têm suas informações cada vez mais expostas – interna ou externamente”, conta Janice.

Na mesma linha, ela sugere que engenheiros de software podem, seguramente, trabalhar como gerente de produtos em uma companhia especializada nas soluções similares as que o profissional atuava.

A autora cita o exemplo de John Sulja, ex-vice presidente de operações de TI de uma companhia do Toronto, no Canadá, como um desses executivos que busca recolocação. “Olhando sob o prisma de desenvolvimento corporativo e industrial, vejo que minha carreira se resume fazer com que: uma organização opere com mais eficiência, menos custos e produza coisas melhores”, disse Sulja.

“Antes eu era mais preocupado em resolver problemas de clientes e questões logísticas. Hoje busco utilizar o conhecimento adquirido previamente para trabalhar em uma companhia de menor porte”, complementa o executivo.

O site canadense, especializados em empregos, Workopolis, publicou uma pesquisa recentemente apontando que um quarto dos cidadãos do Canadá estão em busca de uma mudança de trabalho. O presidente da companhia, Patrick Sullivan, no entanto, afirmou que o resultado do estudo não significa que os gestores de TI deixarão seus cargos completamente.

“O que as pessoas tendem a fazer é procurar campos de atuação em segmentos mais estáveis. A área de saúde, por exemplo, está sempre contratando. É preciso encontrar opções em que os funcionários usem as mesmas habilidades já desenvolvidas, mas de uma forma mais prazerosa”, afirmou Sullivan.

Para aqueles que ainda não mudaram de emprego, ele sugere que passem a avaliar uma forma de mudança. Já, para os que buscam recolocação imediatamente, o presidente da Workopolis aconselha-os a buscarem profissionais que os ajudem na elaboração de currículos e na busca por vagas.

Muito além da TI verde – vale a pena investir na sustentabilidade janeiro 12, 2009

Posted by falatec in Uncategorized.
Tags: , , ,
2 comments

Fonte: Cibele Gandolpho, de INFO Corporate

Participar das ações de sustentabilidade e criar projetos de preservação para outras áreas são iniciativas que geram grande visibilidade à carreira do CIO dentro e fora da companhia

Empresas de todo o mundo estão, neste momento, investindo em ações de sustentabilidade e esta é uma excelente notícia para a carreira dos CIOs. Afinal, estar à frente de iniciativas ligadas ao meio ambiente pode render uma ótima visibilidade dentro e fora da companhia e a valorização do passe do executivo de TI. Soluções de impacto ambiental, dizem os especialistas, devem começar com um bom business case, que tenha como foco custos, benefícios e análise de riscos. Qualquer semelhança com projetos de TI não é mera coincidência. Por isso, além da preocupação natural de tornar a área de tecnologia mais verde, as grandes empresas esperam que seus CIOs contribuam mais com as outras áreas, para difundir a importância de investir em projetos ambientais. “Sustentabilidade, responsabilidade social e TI verde ganham cada vez mais destaque nas estratégias corporativas e os gestores de tecnologia devem ter em mente que isso é muito mais do que trocar equipamentos”, diz Eduardo Petit, sócio-diretor da Max Ambiental, especializada em iniciativas que promovem o desenvolvimento sustentável.

Muitas vezes o CIO tem boas idéias para sugerir, mas não sabe por onde começar. “Um bom caminho é criar um projeto piloto que apresente os problemas e as soluções de maneira prática. Trazer cases de sucesso de outras organizações também conta pontos”, afirma Petit. Números e pesquisas comprovam a tendência e podem ajudar no convencimento do board. Um levantamento realizado pela consultoria IDC, por exemplo, mostra que 80% dos executivos brasileiros dizem que iniciativas de TI verde estão crescendo em importância nas suas organizações, e 43% ressaltam que, na hora de escolher um fornecedor, já prestam atenção nas suas ações de preservação ambiental. Há até bem pouco tempo, essa era uma questão distante, mas hoje as vantagens econômicas estão impulsionando os investimentos em sustentabilidade e meio abiente. “Os CIOs e demais diretores das empresas devem estar atentos para antever as oportunidades ligadas ao verde”, afirma Petit.

arlos Delpupo, diretor do Instituto Totum, consultoria especializada em projetos de sustentabilidade, afirma que quando um executivo de TI atua de forma consistente em ações de responsabilidade social e projetos ligados ao meio ambiente, sua empresa passa a ser percebida com mais valor pelo mercado e pela sociedade.

“O papel do CIO deve ser o de entender onde as operações de sua companhia têm mais efeito no meio ambiente. Assim poderá contribuir para minimizar o impacto com inovações e tecnologia”, diz Delpupo.

Um bom começo para o diretor de tecnologia que quer abraçar a causa da preservação é estudar o tema. Algumas instituições têm cursos específicos. A Fundação Dom Cabral, por exemplo, oferece o curso Gestão Responsável para a Sustentabilidade, destinado a empresários, diretores e gerentes que desejam incorporar o assunto em suas práticas de gestão. Os alunos aprendem a usar ferramentas gerenciais que ajudam, na prática, a empresa a ser ecologicamente responsável.

Bônus ambiental

Na indústria de alimentos Sadia, os investimentos em TI verde começaram em 2006, quando consolidou 200 servidores em 90 máquinas e virtualizou 5 mil desktops em modelos thin clients. A empresa utiliza papel reciclado nos multifuncionais e começou, em janeiro deste ano, a construir em Vitória de Santo Antão, a 50 quilômetros do Recife (Pernambuco), uma fábrica com emissão zero de carbono para o setor de carnes.

Marcos Caldas, gerente de TI da Sadia, afirma que a nova unidade agroindustrial deverá ser um modelo no mercado, pois adota avançados processos de tecnologia voltados à questão da sustentabilidade e proteção ambiental. “Na Sadia, todas as vezes que apresento um projeto de tecnologia para a direção, preciso me preocupar com as ações sobre o meio ambiente e apresentar soluções para que não haja agressão. Sustentabilidade é um conceito que já está incorporado na nossa cultura”, diz Caldas.

No laboratório Fleury, a diretora corporativa de TI, Teresa Sacchetta, tem diretrizes ligadas ao meio ambiente a cumprir, como a redução de energia e de consumo de papel. “Bater as metas de consumo controlado está diretamente ligado à participação nos lucros da companhia. Se uma equipe não alcança os objetivos de redução de energia ou consumo de papel, por exemplo, não recebe o prêmio”, afirma Teresa. A área de TI do Fleury ainda tem a responsabilidade de integrar suas iniciativas a outras áreas do laboratório. “Na maioria dos casos as ações ligadas ao meio ambiente são isoladas. No Fleury, qualquer projeto que seja ecologicamente responsável passa a ser uma regra para todos”, afirma Teresa.

Com 21 unidades em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, o laboratório fez a consolidação e a virtualização de seus servidores, trocou os monitores por telas de LCD, as impressoras por multifuncionais e agora estuda a implementação de terminais thin client nos postos de atendimento. “Temos um banco de idéias ligado a ações de sustentabilidade que analisa cada projeto e sua viabilidade técnica. A maior parte das sugestões vem do departamento de TI”, diz Teresa.

Na indústria química Carbocloro, o gerente de TI José Carlos Padilha é quem dá suporte aos projetos relacionados ao meio ambiente. “O CIO não pode fazer de conta que não enxerga a importância das ações de sustentabilidade de sua empresa. É preciso acompanhá-las de perto”, afirma Padilha.

A HP Brasil criou uma área específica para o desenvolvimento de estratégias ligadas ao meio ambiente. Kami Saidi, diretor de operações para o Mercosul e líder do Comitê Green Team da HP Brasil, diz que as organizações esperam de seus CIOs uma ação mais pró-ativa em relação à sustentabilidade. “Na HP, o CIO, que tem um grande poder de decisão, nos envia um projeto piloto com novas idéias. Analisamos a viabilidade e a implantamos”, diz Saidi.

“Temos, no Brasil, autonomia para desenvolver ações próprias”, diz Saidi. Uma delas foi o Smart Shelf. Trata-se de uma máquina que vende cartuchos para impressoras da marca e recolhe o usado para reciclagem. A ação começou por São Paulo, mas a HP tem planos para instalar o equipamento em todo o país ainda neste ano, afirma Saidi.

Microsoft prepara 3 mil jovens para o mercado de TI janeiro 9, 2009

Posted by falatec in Uncategorized.
Tags: , , , , , ,
5 comments

Fonte: Bruno Ferrari, de INFO Online

Com o programa Students to Business, empresa americana pretende colocar 1,2 mil professionais de nível médio, técnico e universitário no mercado de trabalho.

A Microsoft Brasil encerrou o treinamento da terceira edição do seu programa de capacitação de jovens para o mercado de trabalho, denominado Students to Busines. Três mil estudantes dos ensinos médio, técnico e universitário interessados em tecnologia da informação chegaram ao final da etapa e receberam capacitação gratuita em desenvolvimento de sistemas e infra-estrutura de rede.

De acordo com Amintas Lopes Neto, gerente acadêmico da Microsoft Brasil, a terceira edição do Students to Business formou 50% mais estudantes do que na última etapa. A iniciativa tem como objetivo dar capacitação tecnológica e facilitar o acesso desses estudantes a vagas ofertadas no segmento de TI

Dados da IDC mostram que o mercado brasileiro de software é um dos mais promissores da América Latina, com uma expectativa de crescimento de 11% ao ano até 2011.

No total, foram 36 mil inscritos em 32 localidades de 18 Estados. 20 mil jovens foram selecionados para a primeira etapa, numa palestra que tratou do mercado de TI e apresentou as características das áreas de infra-estrutura e desenvolvimento de sistemas. Nessa fase, o jovem escolheu em qual das áreas ele pretendia se aperfeiçoar.

Na segunda etapa, 9 425 jovens foram selecionaldos, com turmas de conteúdo técnico-tecnológico distinto para os interessados em cada área e 40 horas de aula em laboratório. Três mil seguiram para a última etapa, quando devolveram os projetos desenvolvidos.

A estimativa da Microsoft é de que 1,2 mil alunos consigam imediatamente novas oportunidades profissionais graças ao programa. O Students to Business facilita o contato entre as empresas que trabalham com tecnologia Microsoft e buscam mão-de-obra especializada e os jovens, por meio da Feira de Empregos. Todos os alunos participantes do programa podem, ainda, divulgar seus currículos em um portal de currículos exclusivo.

Site tem 24 mil vagas na área de TI janeiro 7, 2009

Posted by falatec in Uncategorized.
Tags: , , , ,
add a comment

Fonte: Bruno Ferrari, de INFO Online

SÃO PAULO – O site de vagas CareerJet traz mais de 24 mil vagas disponíveis na área de tecnologia da informação.

O serviço é uma espécie de banco de dados que une oportunidades cadastradas por empresas, mas também conta com a colaboração de outros sites de vagas. Por isso, o repositório bastante extenso de oportunidades, com o ônus de dificultar na hora de procurar as que realmente valem a pena.

Para melhorar isso, o site oferece algumas ferramentas para refino de busca. É possível ordenar por relevância da vagas – com os votos dos usuários – e também escolher por data ou salário.

No campo de busca, dá para escolher em localidade e nome da empresas que oferece. Há também a possibilidade de cadastramento do currículo e a opção para receber alertas de oportunidades;

O CarrersJet é uma rede global de vagas e conta com mais de 15 milhões de empregos cadastrados no mundo em 63 mil sites diferentes. No Brasil, são 578 mil vagas em todas as áreas, 24 mil delas em TI.